sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Professor flagrado agarrando aluna pode responder por estupro, diz delegada


Professor foi flagrado agarrando aluna de 11 anos em escola da zona norte de São PauloReprodução/Rede Record
O professor de uma escola estadual da zona norte de São Paulo foi flagrado agarrando uma aluna de 11 anos. O assédio aconteceu dentro da sala de aula e foi gravado por colegas da menina. Segundo a Polícia Civil, o ato caracteriza estupro de vulnerável. 
As cenas foram gravadas durante a aula de história. Os alunos do 6º ano do ensino fundamental estavam fora dos seus lugares. No meio da bagunça, o professor agarrou a menina por trás. As imagens mostram que ele beija e morde a orelha da adolescente. 
A mãe da garota revelou que a filha já comentou que gosta muito do professor e que a jovem também mantém contato com ele por meio de uma rede social. Outras alunas que estudam com a garota falaram que a cena é comum. A menina defende o professor. Para ela, não existe maldade.
— É o jeito dele! É só por carinho mesmo, não tem nada de maldade, não. É com menino, é com menina, é todo mundo. É assim mesmo. 
Para o Conselho Tutelar, é preciso denunciar o professor. A atitude dele é considerada inaceitável para um educador, como explica a conselheira Viviane Santana.
— Ele é um professor, ele não é nada da aluna. Ele está lá para fazer seu papel de educador e a gente está vendo que hoje, dentro das escolas, muitas coisas andam acontecendo. 
O conselho já espera um relatório da escola sobre as providências tomadas. Mas o mais importante, segundo Viviane Santana, é a família registrar um boletim de ocorrência. 
— Tem que ser denunciado, sim, porque hoje é a filha deles, amanhã pode ser outra. O conselho vai dar todo o apoio em relação à adolescente para não ter este problema. Se a família se recusar, o conselho vai denunciar.  
A delegada Ancilla Vega, que investiga casos de intolerância e tem experiência na área de defesa da mulher, diz que o que o professor fez em sala de aula é crime. A delegada vai investigar o professor.
— Por ser 11 anos a idade dela, caracteriza, em tese, o crime de estupro de vulnerável. Além de manter conjunção carnal com criança ou adolescente menor de 14 anos, a prática de ato libidinoso também caracteriza o estupro de vulnerável. Aí a gente percebe a conduta libidinosa deste professor para com essa criança. 
O professor não foi encontrado nem em casa, nem na escola. Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que já foi determinado o afastamento do professor. Também foi instaurado um processo administrativo para apurar os fatos. Os pais da garota foram convocados para uma reunião na secretaria.